30 de nov de 2013

Uma verdadeira rosa (...)



Delicada e decidida.
Delineador nos olhos e sonhos que transbordam.
Baixinha, de grande coração.
Covinhas.
Domina o dom de encantar,
Quem está a sua volta.
Sorridente e precisa.
Sincera!
Assim eu vejo essa rosa,
Sem espinhos.
Que perfuma, que alegra,
Que ensina.

Assim vejo... Emilly Brito.

------------------------------------------------------------

Esta é minha singela homenagem pra uma das minhas blogueiras favoritas...
Hoje no seu dia, quero repetir o mesmo pedido de todos os dias que faço a Deus por você:
Que Ele ilumine sempre seu dom da escrita, sua maneira nobre de ser, e sua vida como um todo!

Parabéns, Tika ♥

29 de nov de 2013

Nova fase (...)

O tempo passa.
A vida sempre se renova,
A cada novo amanhecer.
Coisas novas e diferentes,
São o que regem a nossa existência.

Escrever novas histórias,
Aprender novas lições,
Viver novas paixões,
Lavar a alma num banho no mar da esperança,
São pontos essenciais que nos ligam a felicidade.

Busque renovação,
Outros ares, outros mares.
Busque libertar-se,
Outros amores, novos sabores.
Busque o novo dentro de si.

Nova fase, novos sonhos,
Novo dia: dia de fazer tudo novo!



28 de nov de 2013

Desilusão (...)


Lá fora a forte ventania,
Fazia voar as folhas secas,
Daquele outono.

Aqui dentro, os ventos traziam
A amarga lembrança do teu amor.

Vagos sentimentos, olhar frio.
E eu a boba, a pensar que me traria a lua.
As estrelas já testemunharam, as várias vezes
Que me dizia ''Te Amo''.
Mal sabia eu, que fui o motivo de tuas risadas,
Ao me ver rendida aos teus encantos.

Lá fora a ventania fluia
Aqui dentro, ela gelava o meu coração.

Realidade, lágrimas.
Sim. Era a dor da desilusão.
Uma parada em meu mundo,
Uma facada em meu peito.

Agora junto os meus pedaços,
E vou ligá-los com o pouco
De amor que me restou,
Para seguir, sem olhar pra trás.

Lá fora a ventania soprava o tempo,
Aqui dentro, ela varria a minha angústia...


25 de nov de 2013

Meu momento (...)

Refletindo, me entendendo
Sozinha.

Começo a mergulhar no meu eu.
Vejo que me deixei abandonada,
No desejo incessante do meu carinho.
Deixei ir, sem perceber.

Refletindo, me entendendo,
Pensando.

O filme da vida passa.
O que ficou, o que se foi.
'Tudo aconteceu, e nada foi feito aqui dentro',
É o que diz meu coração à reclamar.

Refletindo, me entendendo,
Reconhecendo

Olhar mais meu interior, é o grande anseio.
Paz, desabafo,
Amor ao meu ser, é o necessário
Pra que eu desate o nó e consiga 
Cuidar melhor de mim.

Refletindo, me entendendo,
Meu momento...




Uma Canção Pra Mim ~ Paula Fernandes

24 de nov de 2013

Amadurecimento (...)


No decorrer do caminho,
É inevitável chorar, cair, sofrer.
Mas com tudo, superamos e aprendemos.

Minha pouca idade, revela que 
Os meus caminhos foram curtos.
Mas não significa que não foram intensos.
A minha bagagem é cheia de histórias...

Há quem já calculou meu fracasso.
Quem já torceu pela minha vitória.
Quem já chorou comigo,
Quem virou as costas.

Já perdi quem amo pro céu,
Já perdi um amor pra vida.

Tantas vezes gritei,
Chorei, agi sem nem ao menos parar...
Falei, e retruquei quando o silêncio era o melhor.

Coisas boas, coisas ruins.
A grande lição?
Amadurecer. 
Ganhei a capacidade de enxergar além da capa.
De compreender, e de ouvir mais.

A caminhada continua,
Mas a fé, e a percepção intensa
Irão me deixar cada vez mais forte
Pra enfrentar os obstáculos,
E os desafios do destino.

E vou... Certa de que sei,
E de que sou capaz!













22 de nov de 2013

Poeira (...)

Leve e livre
Formada de rumos incertos,
Dos sopros da vida...
Assim é meu ser.
Cheio de mistérios, sem destino.

Como poeira no vento,
Como sopro sem motivo

Simples e oculta,
Me faço em silêncio.
Calei. Deixei de expressar
O que não tem sentido.

Como poeira no vento,
Como sopro sem motivo

Inteira, imperfeita,
Incerta e minha...

18 de nov de 2013

Tão nosso (...)

Tão intenso, e calmo
Tão certo, e errado
Tão confuso, e claro

Sentimentos falam por mim.
Razão se tornou mero detalhe.
O anseio por nós move os meus dias.
E o soar da minha viola, serve de tema
Pra essa realidade.

Tão livre, e meu
Tão tudo, e nada

O destino vem desenhando o caminho.
Já não se pode dizer como será o fim.
O agora nos permite apenas tentar,
E o que é verdadeiro, será nosso abrigo
Ao caminhar.

Grandioso, e simples.
Incrível, oculto.
Tão único.
Tão eu, e você.
Tão nosso...




"Quando tudo estiver destruído
Eu só quero que você saiba quem eu sou"
Tradução do trecho de Iris ~ Paula Fernandes


17 de nov de 2013

Chuva (...)


Ao olhar as gotas de chuva escorrendo na janela,
Lembro do meu coração se despedaçando em lágrimas...
Dia frio, dia cinza.
As horas voam, e não esperam eu hesitar.
Sim, preciso me levantar.
Forças? São mínimas.
Meus pensamentos vazios, cheios de você apenas.
Eu não queria, nunca quis e nem quero...
Mas o sentimento não me deixa desistir.
É ele quem me controla, quem dita o meu eu.
Inexplicavelmente, a emoção não me deixa ouvir a razão.
A consequência é essa dor de te amar, e simplesmente não ser compreendida.
É cuidar, quando nem de mim eu cuido mais.
É sentir e saber que não sou sentida.
É ir e ter a plena certeza de que você não irá.
Visivelmente, meu impulsos falam mais que minhas palavras.
Preciso recolher-me.
Só me resta ficar aqui, olhando aquelas gotas na janela,
Que representam as lágrimas do meu coração.
Ainda chove, ainda é dia,
Ainda frio e cinza...


14 de nov de 2013

Dois corações, uma história (...)


O tempo fluiu, e arrastou as lágrimas
Que ficaram marcadas no passado.
E com ele o amor também se foi,
Mas não se fez esquecido.
Porém a vida seguiu. A rotina, o vai e vem.
Talvez ela já não se lembra do nome dele.
Pode ser que ele já encontrou sua metade.



Enfim.
Dias, meses, anos se passaram.
Ambos se reconstruíram.
Até que um dia, o destino surpreende
E esse amor ressuscita de repente.  
O tão inesperado reencontro.
Silêncio absoluto.
Coração acelerado e terno.
A mente dizia tudo.
As mãos geladas.
O sentimento não morreu, está claro.
Ela mal conseguiu dizer 'oi'
Ele já tremulo, lhe dirigiu um 'quanto tempo'
Um sorriso, um abraço tímido,
E uma vida perdida longe um do outro,
Resumida num diálogo.
Dali em diante, os caminhos que eram dois, se tornaram apenas um.
Duas vidas, em uma.
Duas promessas, em um desejo.
Dois corações, uma história...











7 de nov de 2013

Uma chance pra mim (...)

Precisava de novos rumos,
Novas janelas,
Olhar um outro horizonte,
E arrancar os impasses do coração.
Precisava acordar, aprender.
Amadurecer.

Por muitas vezes, ingênua
Acreditei demais.
Por muitas vezes, covarde
Deixei de ir atrás.

Agora renovada,
Leve e calma.
Me faço crescer.

Agora em paz,
Em harmonia,
Sei do caminho,
Sei dos espinhos,
E das flores.

Diante dessas certezas,
Sigo na direção dos ventos...
Ventos, soprados por Deus...






2 de nov de 2013

A perda (...)



É difícil ter que viver, sabendo que nunca mais,

Conviverá com aqueles, que eram metade de você.
A dor da perda é inestimável.
É como se as flores caíssem por terra em massa,
Como se tudo ficasse cinza e frio,
A vida não tem mais sentido...
E o desespero vem, em forma de lágrimas.

Eis que existe o tempo.
Que faz cair as gotas coloridas, no que é sem vida.
Que ensina a olhar por outra janela.
Nos capacita a tirar lições, e praticá-las.
Nos faz compreender que a morte não é pra ser o fim,
E sim o recomeço.
O início dessa renovação é amarga, eu sei.
Mas existe algo que nos torna invencível: a fé!

Por causa dela, minhas lágrimas já se tornaram sorriso.
E hoje, mesmo tão nova, eu amadureci,
Vivi experiências, que nenhuma outra escola irá lhe mostrar.

Por tudo isso que passei, pelo que sofri,
Pelo que aprendi, a minha grande mensagem é essa:
Tenha fé!
Deus lhe impôs a lição, por saber que você é forte.
E sim, você é.
É o filho querido, que ele quer que saiba realmente,
O que é a vida, de maneira difícil, mas a mais prática e eterna que existe...







© Blog Personalizado - Blog Tweed - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thaís Oliveira.
Tecnologia do Blogger.